/*------------------- Blogger Theme by Bruna Borges - © 2013 (HTTP://ENDSTONIGHT.TUMBLR.COM/) Não se inspire ou Copie. Base: Minina ------------------------ */

31 de dezembro de 2014

Queimando o olho da meia-noite...

Assunto inspirado por Cinquenta Tons de Cinzas ehueheuhe quando eu terminar faço a resenha para vocês.
Mas agora eu decidi postar o próximo capítulo a meia-noite, oficialmente é outro dia então não tenho nada contra euhehe enfim espero que estejam gostando.

Nome do Livro: Indefinido
Autora: Emily Oliveira
Gênero: New Adult (contém sexo e palavrão por ser um NA)



Capítulo 5


    
- Então vamos começar nos apresentando, e dizendo o que gostam de fazer em relação a música, começando por você. – Raphael apontou para um menino no primeiro grupo.

 As carteiras eram diferentes, não era em fileiras como em uma escola secular era quatro carteiras juntas em cada canto da sala, fazendo diversos grupos por isso eu, Ali, Gaby e Thais estávamos juntas. Enquanto cada um ia se apresentando, eu estava me perguntando o que eu iria fazer agora, Raphael era tão perfeito, mas eu não merecia ele e nem sabia se ele algum dia iria querer algo comigo, por quê eu sempre tenho que me apaixonar pelo garoto errado, ou proibido? Mas espera eu não estava apaixonada por Raphael, meu coração estava em Jake, infelizmente.

   - E você quem é? – ouvi a voz de Raphael, se dirigindo a mim.

   - O que? – estava perdida de novo nos meus pensamentos.

   - E você quem é? – ele disse, sorrindo. Seu sorriso era perfeito, que me fazia esquecer de todo resto.

   - Ah sim, hã... meu nome é Drica!

   - E do que você gosta na música?

   - Sinceramente, tudo! – sorri pra ele – Mas eu realmente gosto de cantar e aprender a tocar novos instrumentos.

   - Que bom que você gosta de tudo, eu também.

Aiin, eu ia desmaiar ali mesmo se ele continuasse sendo tão fofo, tão diferente de Jake.

   - Bom, alunos, a aula já está quase acabando mas agora já temos uma ideia de quem somos, e o que queremos. Vocês estão liberados.

Nossa passou tão rápido, nem percebi mas ainda bem menos uma aula, já estava pronta para sair até que...

   - Hey, Drica, espere! – chamou Raphael.

   - Oi? – falei, voltando até a mesa dele.

   - Você canta? – perguntou ele.

 Achei que eu tivesse deixado isso claro apesar de eu não saber cantar bem, mas eu gostava disso.

   - Mais ou menos, eu canto mas quem não sabe cantar? O problema mesmo é cantar bem. – respondi dando um sorriso desanimado.

  - Por isso que eu te chamei para ouvi-la cantar – ele estava querendo me ouvir cantar, fiquei feliz entusiasmada igual a boba da corte, não sei porquê. – se quiser é claro, mas achei melhor você cantar só pra mim caso seja tímida, senão pode cantar na frente de todo mundo, mas eu vou ter que uma hora ou outra te ouvir.

Assenti, como a ideia de cantar na frente de todo mundo me assustava então decidi cantar só para ele, comecei a cantar I Hate You, Don’t Leave Me da Demi Lovato enquanto eu ia cantando ele ia me olhando de uma maneira estranha, eu não sei se era admiração, ou se ele não via a hora de eu parar, então me calei.

   - Não pare! Eu estava gostando, você canta muito bem.

Eu estava corando de novo, por quê eu tinha que ser assim?

   - Você ficou vermelha, nunca cantou para alguém? – perguntou, dando uma risadinha.

Isso não era tecnicamente verdade, eu já havia cantado para os meus pais e para Alice, pensando bem eu não tinha cantado para ninguém que contasse.

   - Na verdade não e ninguém nunca me elogiou por isso. – admiti

   - Pois devia você tem uma linda voz! Quero trabalhar isso com você, agora pode ir. – despediu e acenou para mim.

Oh, o meu professor gato, tinha elogiado minha voz, o que eu poderia pensar sobre isso? Nada. Ele era meu professor de música, esse era o trabalho dele.

   - Hey, você está ai!

Virei para ver as meninas atrás de mim.

   - O que ele queria? – perguntou Thais.

   - Ele só queria ouvir minha voz.

   - Ué eu também disse que gostava de cantar, e ele não me chamou para me ouvir! – disse Alice, frustrada.

 Sério? Será que ele? Será nada.

   - Ele disse que precisava ouvir minha voz se eu fosse tímida então seria melhor eu cantar só para ele, ele vai te chamar também, mas depois. – expliquei

   - É, você deve ter razão, só achei estranho porque nós somos amigas, então estaria de boa esse lance de timidez. – retrucou ela.

Talvez ela tivesse razão, ou talvez não, de qualquer forma não interessa depois do que aconteceu com Jake, eu não quero gostar de mais ninguém.
Beijinhos
by Emmy

Não copie, plágio é crime!
Não pegue o conteúdo sem autorização.